Anedotas

#Diário de um Casal

Publicado em Atualizado em

Aqui fica mais um diário, amanhã não percam a postagem de mais um Smiley piscando.

Para que a publicação seja fiel à encontra original será mantida com a mesma linguagem:

DIA 1
Celebrámos hoje o 25º Aniversário de Casamento.
Tentámos reviver a nossa lua-de-mel, mas… ele não conseguiu…
DIA 2
Hoje ele contou-me o seu grande segredo: Está impotente! Grande novidade…
Ele realmente pensa que eu ainda não sabia…
DIA 3
Este casamento vai mal…
Uma mulher tem as suas necessidades…
DIA 4
Estou entusiasmada…
Li no jornal, que há uma nova droga no mercado, que pode resolver nosso problema. Chama-se Viagra.
Ele vai substituir o Prozac pelo Viagra, na esperança que levante algo mais, do que só o entusiasmo…
DIA 5
Uma benção dos céus!!!
DIA 6
A vida é maravilhosa!!!
DIA 7
Tenho de confessar: O Viagra tem sido muito bom!!!
Nunca fui tão feliz!!!
DIA 8
Acho que ele exagerou na dose de Viagra neste fim de semana…
Já começei a ficar um pouco dorida nas partes baixas…
DIA 9
Não tenho tempo para escrever… Ele pode-me apanhar.
DIA 10
Ok, admito, estou escondida!
É que não há mulher que aguente tanto!!!
O que hei-de fazer?
Estou toda moída…
DIA 11
EU JÁ NÃO AGUENTO MAIS!!!
É o mesmo que ir para a cama com uma Black&Decker!
Acordei, esta manhã, colada à cama!!!
DIA 12
Quem me dera que ele fosse paneleiro.
Deixei de me maquilhar tomar banho, escovar os dentes…
Mas, mesmo assim, ele vem atrás de mim.
Até bocejar se transformou num perigo!
DIA 13
Cada vez que fecho os olhos, lá vem mais um ataque…
Vivo com um míssil Scud! Já mal consigo andar..
DIA 14
Já fiz de tudo para ele me deixar em paz, mas não adianta…
Até já me vesti de freira, mas ainda foi pior… Socorro!!!
DIA 15
Vou acabar por matá-lo…
São umas dores infernais quando me sento…
O cão e o gato fogem dele e os amigos… nem se atrevem a aparecer em casa!
DIA 16
Hoje, sugeri-lhe que largasse o Viagra e voltasse a tomar o Prozac… Ele quase me bateu!!!
DIA 17
Coloquei Prozac na caixa de Viagra, mas parece que não fez efeito… Lá vem ele outra vez!!!
DIA 18
O Prozac começou finalmente a fazer efeito!
Meu marido passa agora, o dia inteiro sentado em frente da TV, com o controlo remoto na mão, à espera de que eu lhe faça tudo…
Ah! Que vida calma e maravilhosa…

Anúncios

#Diário de um Padre

Publicado em Atualizado em

Mais uma anedota para se rirem, aqui fica, uma carta do Bispo a um Padre depois de o mesmo lhe ter pedido  conselho:

Eu estava tão nervoso na minha primeira missa, que no sermão não conseguia falar. Antes da segunda missa, dirigi-me ao Bispo e perguntei como devia fazer para relaxar. Este, por sua vez, recomendou-me o seguinte: Coloque uma gotinhas de vodka na água, vai ver que da próxima vez estará mais relaxado.

No Domingo seguinte, apliquei a sugestão do meu Bispo, e estava tão relaxado, que podia falar alto até no meio de uma tempestade, tão descontraído que estava. Ao regressar a casa, encontro um bilhete do meu Bispo, que dizia o seguinte:

Caro Padreco:

1º – Da próxima vez, coloque umas gotas de VODKA na água e não umas gotas de água na VODKA;

2º- Não há necessidade de por limão e sal na borda do cálice;

3º- O missal não é, nem deverá ser usado, como apoio para o copo;

4º- Aquela casinha ao lado do Altar é o confessionário e não o WC;

5º- Evite apoiar-se na imagem de Nossa Senhora, e muito menos abraçá-la e beijá-la;

6º- Os mandamentos são 10 e não 12;

7º- 12 são os apóstolos, e nenhum deles era anão;

8º- Não nos devemos referir o nosso Salvador e seus apóstolos como “JC & Companhia”;

9º- Não deverá referir-se a Judas como “filho da p … “;

10º- Não deverá tratar o Papa por “O Padrinho”;

11º- Judas não enforcou Jesus, e Bin Laden não tem a ver com esta história;

12º- A água Benta é para benzer e não para refrescar a nuca;

13º- Nunca reze a missa sentado nas escadas do Altar;

14º- Quando se ajoelhar, não utilize a Bíblia como apoio ao joelho;

15º- Utiliza-se o termo ámen e não “ó meu”;

16º- As hóstias devem ser distribuídas pelos fiéis. Não devem ser usadas
como aperitivo antes do vinho;

17º- Procure usar roupas debaixo da Batina, e evite abanar-se quando estiver com calor;

18º- Os pecadores vão para o inferno e não para “a p … que os p … “;

19º- A iniciativa de chamar os fiéis para dançar foi plausível, mas fazer um “comboio” pela igreja…

20º- Não deve sugerir que se escreva na porta da Igreja “HOSTIA BAR”.

P.S: Aquele que estava sentado no canto do Altar ao qual se referiu como “pa*****ro travesti de saias” era eu!!…

Espero que estas suas falhas sejam corrigidas no próximo Domingo.

O Bispo

#Diário de uma Condutora

Publicado em Atualizado em

Querido Diário

6 de Janeiro

Passei no exame de condução! Posso agora conduzir o meu próprio automóvel, sem ter de ouvir as recomendações dos instrutores, sempre a dizerem-me “por aí é sentido proibido!” “Vamos em contra-mão!”, “Olha a velhinha! Trava! Trava!”, e outras coisas do género. Nem sei como aguentei estes últimos dois anos e meio…

Querido Diário

8 de Janeiro

A Escola de Condução fez-me uma festa de despedida. Os instrutores nem sequer deram aulas. um deles disse que ia à missa, julgo que vi outro com lágrimas nos olhos e todos disseram que iam embebedar-se, para comemorar. Achei simpática a despedida, mas penso que a minha carta não merecia tal exagero.

Querido Diário

12 de Janeiro

Comprei carro, infelizmente tive que deixar o carro no concessionário para substituir o pára-choques traseiro, quando tentei sair, meti marcha-atrás em vez de primeira. Deve ser falta de prática. Há uma semana que não conduzo!

Querido Diário

14 de Janeiro

Já tenho o carro. Fiquei tão feliz ao sair do Stand, que resolvi dar um passeio. Parece que muitos outros tiveram a mesma ideia, pois fui seguida por inumeros automóveis, todos a buzinar como num casamento. Para não parecer antipática entrei na brincadeira e reduzi a velocidade de 10 para 5 à hora. Os outros gostaram buzinando ainda mais.

Querido Diário

22 de Janeiro

Os meus vizinhos são impecáveis comigo. Colocaram posters avisando em grandes letras: “ATENÇÃO ÀS MANOBRAS”, marcaram com tinta branca um lugar bem espaçoso para eu estacionar e proibiram os filhos de sair à rua enquanto durassem as manobras. Penso que é tudo para não me perturbarem. Ainda há gente boa neste mundo…

Querido Diário

31 de Janeiro

Os outros automobilistas estão sempre a buzinar e acenar-se. Acho isso simpático, embora um pouco perigoso. É que um deles apontou para o céu com o dedo espetado. Quando procurei ver o que me apontava, quase bati. Valeu que ia à minha velocidade de cruzeiro de 10/h.

Querido Diário

10 de Fevereiro

Os outros automobilistas têm hábitos estranhos. Para além de acenarem muito, estão sempre a gritar. não os oiço, por ter os vidros fechados, mas julgo que me querem dar informações. Digo isto porque julgo ter percebido um a dizer “Vai para casa”. A ser verdade é espantoso. Não sei como ele adivinhou para onde ia. De qualquer modo, quando eu descobrir onde fica o botão de abrir os vidros vou tirar muitas duvidas.

Querido Diário

19 de Fevereiro

A cidade é muito mal iluminada. Fiz hoje a minha primeira condução noturna e tive de andar sempre nos máximos para ver convenientemente. Todos os automobilistas com quem me cruzei pareciam concordar comigo, pois também ligaram os máximos e alguns chegaram mesmo a acender outros faróis que tinham. Só não percebi a razão das buzinadelas. Talvez para espantar qualquer cão ou gato. Sei lá.

Querido Diário

26 de Fevereiro

Hoje tive um acidente. Entrei numa rotunda, e como havia muitos automóveis (não quero exagerar, mas deviam ser, no mínimo, uns quatro), não consegui sair. Fui dando voltas bem juntinho ao centro, à espera de uma oportunidade, de tal forma que acabei por ficar tonta e fui chocar com o monumento no centro da rotunda. Acho que deviam limitar a circulação nas rotundas a um carro de cada vez.

Querido Diário

3 de Março

Estou em maré de azar. Fui buscar o carro à oficina e, logo à saída troquei os pés, acelerando a fundo em vez de travar. Abalroei um carro que ia a passar, amassando-lhe todo o lado direito. O automobilista era, por coincidência o engenheiro que me fez o exame de condução. Um bom homem, sem dúvida. Insisti em dizer-lhe que a culpa era minha, mas ele educadamente, não parava de repetir: “Que Deus me perdoe! Que Deus me perdoe!”