Diário De Um Estudante

O Desaparecido Saúda 2015

Publicado em Atualizado em

image

Olá a todos meus caros leitores.
Pois é, eu bem sei que ando desaparecido e ainda mais estupefacto fiquei quando vi que o meu último post era sobre… era sobre a Maquilhagem e os Homens (se não sabes do que estou a falar, da uma olhadela ). Claro que não podia deixar de vos comunicar para além daquela publicação feita em novembro.
Pois é, novembro… Foi em novembro que falei pela última fez e já estamos praticamente em fevereiro e eu sem vos dar nenhuma novidade. Pois bem, cá vão elas:

1o: Estou no telemóvel pelo que a numeração terá de ser assim… ;
2o: A passagem de ano foi no Porto junto de malta amiga e que está no coração;
3o: Estou vivo e de primeiro semestre feito. É verdade. Depois de uma interrupção letiva (sim, porque na universidade bem que podemos esquecer as “férias de natal”), tive cheio de frequências e trabalhos sendo que, depois de muito estudo, lá fiquei de férias dia 16 deste mês;
4o: Fiz um segundo lançamento do meu livro na Fnac do Leiria Shopping no dia 16. Correu tudo bem e podem ver as coisas aqui ;
5o: Passei estes dias a pôr séries em dia enquanto dava forças à minha fantabulástica namorada para a sua defesa do estágio. Já ficou despachada hoje 😀 (love you babe)
6o: Depois de estarmos ambos de férias conseguimos estar finalmente os dois juntos. É verdade. Estou aqui, a escrever isto sobre o seu olhar atento, na Azambuja. A minha mãe parecia que me ia mandar para a China e parecia querer que levasse o frigorífico atrás… Mas, bem, cá cheguei eu. Inteiro e no quente do aquecedor porque a chuva ☔ é nossa companhia neste fim de semana (EU AMO CHUVA).

Vou-me despedir por agora prometendo trazer novidades e mais disparates.

P.S.: A Andreia não tem vindo cá escrever mas não a matei!!!! Prometo que ela vai vir cá.

Beijos e Abraços,
Diogo

Visita ao Porto, Voluntariado, Color Run, Disney e Pipocas

Publicado em Atualizado em

Diário de um #Universitário (17 a 24 de Outubro)

Sexta-feira, 17 de Outubro de 2014

Acho que este foi o melhor dia do mês. A sério malta.

Como sabem, às sextas-feiras não tenho aulas da parte da manhã o que é fantástico! Fantástico porquê? Porque no dia de ontem (16) saí, a um Arraial. É certo que não cheguei muito tarde, tendo em conta que tinha a viagem para o Porto às 16h…

A manhã passou bem. Andei basicamente de um lado para o outro a arrumar as coisas que eram essenciais ir para a minha mini-estadia na cidade do Porto. Passou rápida a manhã, apesar da ansiedade começar a aparecer… e porquê? A resposta é bastante simples: pelo voluntariado que iríamos fazer às 14h na cidade de Leiria. Que iniciativa foi esta? Pois bem, foi assinalado este dia como o dia internacional contra a pobreza e em todos os distritos de Portugal, os voluntários andaram ora a distribuir panfletos em lugares estratégicos da cidade, ora com setas vermelhas com a palavra POBREZA destacada. Eu fiquei com as setas e devo dizer-vos que adorei a ideia. As setas estavam a apontar para lugares aleatórios, simbolizando o facto de que a pobreza está presente em todo o lado e que, na maior parte das vezes, não a vemos.

Foi uma hora de ação voluntária. Eu, apesar de ter já expressado a minha vontade em fazer voluntariado, foi a primeira vez que tive mesmo a oportunidade de o fazer e devo dizer-vos que adorei! Foi fantástico e, das melhores coisas é ver a reacção positiva das pessoas. Os seus sorrisos, ou então um polegar levantado mostrando contentamento. Também houve quem parasse para nos perguntar e elogiar a iniciativa. Enfim… coisas que nos dão vontade de lutar e ajudar sempre que possível.

2014-10-17 14.48.07

Tudo isto acabou perto das 15h10, pelo que peguei na minha mochila super pesada com a roupa e alguma comida para a viagem (porque eu sou uma pessoa bastante esfomeada e até acho estranho a minha namorada não ter feito nenhuma entrada aqui no blog sobre isso mesmo…) que iria fazer a seguir.

Encontrei montes de gente há espera dos autocarros, sendo que muitas eram da minha turma que, apenas estudando em Leiria, iriam de fim de semana a casa. A espera assim não foi tão dolorosa, se bem que outro nervosismo começava a aparecer, o de sair de Leiria e fazer uma viagem já há muito programada, e que marcava o reencontro entre dois amigos! (e digo isto porque eu dou muito valor aos meus amigos! Eles sabem nos Agradecimentos dos meus livros 😛 )

A viagem lá aconteceu e bem que eu li, comi, mandei SMS´s, mas o relógio teimava em não andar.

Finalmente cheguei ao Porto! Onde tanto a cidade e o meu amigo (Ricardo) me esperavam.

O resto da tarde passou-se bem, tirando a chuva que caia abruptamente e sem cessar durante o caminho para casa dele. Logo aí nesse trajeto até ao metro tive direito a guia particular em que me ia explicando os diversos pontos da cidade.

Ai chuva…não podias ter arranjando outra hora?

Sábado, 18 de Outubro de 2014

A manhã começou com muita alegria apesar da chuva não ter parado de cair do céu. Saímos de casa cedo para aproveitar bem o dia. Andamos de metro (que na minha opinião e da minha belíssima namorada se devia chamar tudo menos isso, é que ele raramente para no subsolo). Lá ele me ensinou a “trabalhar” com o Andante e seguimos viagem!

Na manhã fomos até ao estádio do dragão. Aparentemente, nesse dia, haveria jogo. Seguimos caminho para o Dolce Vita que lá ficava perto. Almoçamos lá um belo BIG KING XXL e seguimos pelo shopping que está com uma exposição dos animais da era glacial. Foi nessa altura que o sol apareceu pelo que seguimos a nossa viagem até à ponte D.Luis onde me fartei, não só de tirar fotografias, mas também a desligar-me de tudo e observar o que estava em me redor. É sem dúvida uma vista fantástica e que espero ansiosamente por repetir. É lindíssima aquela zona do Porto. Os turistas também são bastantes, acreditem, e o tempo só ajudou. Seguimos até à Serra do Pilar que via lá acontecer um casamento no mosteiro. Mais fotos foram tiradas daquela vista panorâmica que tínhamos. É belíssimo.

Queres ver as fotos das paisagens e da exposição? Carrega em ler mais 😀

Leia o resto deste artigo »

Diário de um #Universitário (14 a 16 de Outubro de 2014) – E outros pontos…

Publicado em

Terça-feira, 14 de Outubro de 2014

Terça-feira… aquele dia quem teríamos manhã livre se ela não tivesse sido mudada por a professor não poder às quartas de manhã. A aula, surpreendentemente, passou-se lindamente em que estivemos a analisar a cartão aberta ao Caloiro que, se ainda não leste, acho que o deves fazer AQUI.

As aulas da parte da tarde passaram-se bastante bem, sendo que as selfies dominaram o intervalo da aula de Introdução à Economia em que aproveitamos para provocar os do nosso curso do 2º ano. Claro que eles, influenciados por esta nova geração, não resistiram em fazer o mesmo connosco.

Neste dia havia praxe, uma super engraçada que envolvia espuma de barbear, mas, infelizmente, o meu peito asmático não me deixou comparecer… acreditem que eu queria, mas este tempo dá cabo de mim, e saber que para a semana o calor volta, dá-me vontade de atirar da ponte. Sendo assim, não fui, aproveitando a ocasião para ir comprar os bilhetes para aquela viagem que vos falei ^^ (não vou sair do país, estejam descasados :p)

Quarta-feira, 15 de Outubro de 2014

Às quartas é quando agora começamos a entrar às 14h e bem que nós gostamos (já agora, a frase marcadora, que passou das praxes para as nossas vidas é:  “Ai eu gosto tanto”).

A aula, única, passou com a sua naturalidade se bem que, a surpresa estava para vir depois com a RGB!, ou seja: praxe. Não sabíamos o que se ia passar… Todos os cursos da escola ficaram em fila indiana, até que fomos entrando para o auditório em que estava tudo escuro, sendo que a única luz era das velas, na periferia e na mesa no palco, onde estavam os membros do mais alto nível da praxe académica, incluindo a Real D. Dinis.  Não nos sentámos, não! Ficámos antes de joelhos e de olhos no chão a ouvir as praxes coletivas que os cursos tinham para serem apresentadas. Foi engraçado, sim, mas foi bastante cansativo estarmos ao escuro mas, ao fim de uma hora, que também estivemos sentados no chão de madeira, nos sentámos para falarem connosco sobre o traje e tudo o mais. No fim, uma apresentação da tuna da escola que levou a plateia praticamente ao rubro.

Depois disto foi tempo de chegar a casa. Com uma chuva e névoa intensa lá fora, depois de fazer alguns exercícios de MACS, li o que a minha namorada escreveu aqui no blog. Sim! Ela agora escreverá para aqui, tendo já dado as boas vindas bem como um “Olá”. O post em questão é o do famoso jogo do carro amarelo. Eu adorei o que ela lá escreveu, tirando a parte em que quase parece que eu ando a dar cabo dela (isto não parece lá muito bem, mas vocês percebem o que eu quero dizer :p ). Eu sou muito carinhoso com ela e garanto que (um dia) ela vos contará (espero que breve). Jogar o Jogo do Carro Amarelo com rapazes tem sempre daquelas coisas… nós rapazes gostamos de provocar o sexto oposto! É certo e sabido… por isso…a… amor, já sabes que eu só quero o teu bem ❤ !

Quinta-feira, 16 de Outubro de 2014

Estou bastante animado para vos dizer que amanhã irei participar numa ação de voluntariado no dia contra a pobreza. Será realizado em todos os distritos do nosso país. Vamos fazer como que de estátuas vivas com setas a apontar em várias direções, com a mensagem de que a pobreza está um pouco por todo o lado. Vamos também distribuir papéis para sensibilizar as pessoas para esta realidade social. Se quiserem aparecer, será por Leiria, nomeadamente no centro, das 14H às 15H! Será feito um vídeo depois com a junção de todos os distritos. Depois mostro 🙂

Diário de um #Universitário (13 de Outubro de 2014)

Publicado em Atualizado em

Segunda-feira, 13 de Outubro de 2014

Meus amigos, penso que hoje acordamos todos com um céu cinzento e com o frio a penetrar nas nossas casas, não foi? Acredito que muitos tenham acordado com a chuva a bater-lhes gentilmente nas janelas, mostrando que já estava na hora de acordar. Cá em Leiria, a chuva só começou a cair lá do alto pelas 11 da manhã.

Eu passei das 11h até perto das 14h na companhia da minha bela amada, vendo Castle (eu viciei-a sim ehehe), tendo a chuva como banda sonora!

As aulas depois passaram bem. Se bem que o nosso professor de Ciências Sociais, para nós fazer rir, é uma moca. É que ele consegue mesmo.

Sempre que temos uma aula, barulho é coisa que não falta. Não é na sala, não, mas sim no exterior. Ou caloiros a cantar ou, como hoje, um berbequim.

“Eu encomendo sempre nesta parte banda sonora”

Ou, tendo em conta que sempre que ele fala, há barulho do exterior…:

“Quando eu começar a falar comecem com um trombone”

Mas isto sem ironia, mas sim divertimento puro. É mesmo fantástico.

Também ele na primeira aula disse umas não sei quantas, mas esta…:

“Às vezes dá-vos uma branca… ou uma preta…”

Também hoje disse outra, claro que a brincar. Não quero mesmo ofender ninguém, mas falávamos dos e-mails, e que os ciganos também criaram os seus próprios na altura: era “@ tudo o que puderes”.

Enfim. Coisas destas, não é?

Claro que, quando tudo isto aconteceu, as 3 horas de chuva seguida pararam para dar lugar a um sol radioso (apesar do frio) e um céu limpo. Nós bem que rezamos, que mandamos mensagens a S.Pedro, mas nada. Talvez por ser o dia da aparição da nossa Senhora? Só sei que a praxe que tinha para acontecer, aconteceu. E, foi só quando cheguei a casa, que ela apareceu, com toda a sua potência (a chuva, claro).

Isto há cada coisa…

“Tem juízo!”

Publicado em Atualizado em

beberpouco1

“Tem juízo!” deve ser a expressão que anda na moda. Quer esteja eu em conversa com os meus amigos ou os meus pais, lá está ela. A espreitar por entre as palavras ditas.

Claro que isto tem mais acontecido com a minha mãe. Estava eu a dizer-lhe que iria em princípio ao Porto, a explicar as coisas quase completas do que iria acontecer. É que quero eu ir ter com o meu mano, né?, e, depois de um belo discurso pensado e articulado, ela simplesmente me responde, meio a sorrir: “Tem juízo!”.

Resumindo: fiquem sem saber o que pensava ela. Mas farei questão de esta semana a bombardear todos os dias. Adiante…

Também esta expressão aparece quando me refiro à minha namorada e anuncio algum plano que tenha com ela. Quer seja lanchar, passar a tarde juntos ou uma sessão de cinema. Se eu comentar com a minha mãe… bem, é certo que ela, a sorrir, dirá… dirá o quê? TEM JUÍZO!  Eu não sei o que pensa ela que eu vá fazer (pronto, eu na verdade até sei), mas estar sempre a dizer só dá um ar de graça à coisa (que má escolha de palavras).

Enfim…

Vocês também têm destes… destes “episódios aventureiros” com os vossos pais?

Diário de um #Universitário (8 de Outubro de 2014)

Publicado em

8 de Outubro de 2014

DSC00535

Devem estar a pensar que tenho montes de coisas para vos contar desde a última atualização de ontem, mas a verdade é que apenas vim falar do quão contente estou com o regresso da chuva!

Não é surpresa para ninguém que eu ADORO o INVERNO! Ou seja, chuva (estou aqui na guerra com o teclado para ele não escrever chuva com letra maiúscula), trovoada, vento e … No que toca a este último devo confessar que aqui em Leiria ele apareceu mais cedo e varreu as árvores todas, trazendo o outono mais cedo. Mas verdade seja dita, não anda tudo adiantado nestes dias? Mas porque gosto eu do inverno? Pois bem, vamos começar com o calor…

Admitam, quando está calor, quando temos aquele verão “a sério”, ficarmos confortáveis é algo terrível e difícil. Quantas foram as vezes em que dormiam com as janelas abertas, sem pijama, ou mesmo sem lençóis? E quantas dessas vezes o “problema” não se resolvia? Nem com uma perna de fora! Com o frio isso não existe! Claro que andamos mais vestidos, compreendo, mas se está frio, fica muito mais fácil encontrarmos um estado de equilíbrio para que fiquemos confortáveis. E a chuva? Uiii. Não há melhor banda sonora para uma boa noite de sono. Ouvir a chuva cair, e nós, no nosso conforto de reis e rainhas.

Isto tudo para vos dizer que hoje choveu a potes! Mas a potes mesmo! E como a escola fica num terreno a tender para o inclinado, parecia que tínhamos quase Veneza à porta. Uma coisa é certa: as minhas sapatilhas ficaram encharcadas! Uns tiveram que até ir pela relva que era até mais seguro.

Que mais coisas tenho para vos contar… hum…. bem, a aula passou-se bem, apesar de que a última meia hora ter sido horrível de passar pelo calor da sala. Mas lá saímos contentes para ir para casa. Também é de realçar que o nosso professor de MACS disse que colocaria os materiais na plataforna online, o mais tardar, no fim de semana (isto foi dito na passada quinta-feira). Pois bem, amanhã faz uma semana e, quanto aos materiais… nem sinal.

Diário de um #Universitário (3 a 7 de Outubro de 2014)

Publicado em

3, 4 e 5 de Outubro de 2014

Meu Deus! O bem que estes dias me fizeram. Vocês não têm ideia das saudades que eu tinha em acordar às horas que quisesse. Claro que fiz algumas coisas, não é? Vi séries, estive com a namorada num ótimo passeio por Leiria (em que tirei fotos com a minha lente – QX10 -, que em breve terá a sua review). Publiquei as fotos das paisagens e isso no meu albúm no Flickr.

Fomos também ao cinema ver o Maze Runner e, devo dizer-vos que adorei por completo. Achei muito bem realizado e com um argumento muito bom. Já me disseram que está também bastante fiel ao livro e, se não fosse por ter uma pilha gigante de livros para ler, também adicionava esta trilogia lá. O filme deixa ainda em aberto inúmeras questões e esse é dos grandes pontos fortes do filme.

Mas atenção! Eu também tive a estudar!!! Ainda foram umas belas horas passadas no meio de apontamentos e mais apontamentos.

6 de Outubro de 2014

Segunda-feira! Dia em que a tortura! Dia em que as aulas só começam às 14H! Eu escrevi tortura mas devo dizer-vos que tanto as aulas como professores são fantásticos. E, prova disso, é ter estado a falar com a professora de Introdução ao Serviço Social – ISS – sobre o meu próximo livro a ser publicado em que tinha algumas dúvidas sobre a um determinado tema. Fui então convidado a assistir a uma palestra de Medicina Legal no próximo mês de Novembro.

Se havia praxe neste dia… pois bem, claro que havia… Mas eu fui? Não! Motivos de força maior levaram a que me fosse impossível estar naquele que, segundo sei/vi/ contaram foi de festa. Foi a praxe do turista. É onde se anda pela cidade a conhecer os principais pontos. Claro que tem muito mais piada se for para pessoas que não vivem cá, em Leiria. Mas resumindo, lá fui eu para casa, todo contente.

Parte desta alegria foi também pela voltou da promoção do cinema a 2€ em que temos de levantar um vale pelo site da Promofans. Claro que eu bem que lá estive até…

7 de Outubro de 2014

… estive até perto da meia noite e meia e nada. Aquilo não parava de dizer que estava esgotado. Mas foi precisamente quando eu saí, (porque a minha melhor amiga me disse) que deu para tirar vales… Por isso, hoje será F5 all night long!

As aulas começaram então às 9:30 com Comunicação em Língua Portuguesa – porque não chegou a disciplina de LP ao longo de mais de uma década. A aula lá passou, vagarosamente, e foi quando a nossa professora recomendou que devíamos ler um livro, que uma colega minha gritou: “-Eu quero é ler O Bater do Coração!”. Foi nesse momento, que a algazarra se intensificou com perguntas a mim se eu tinha mesmo publicado um livro e todas aquelas perguntas que estão na área FAQ do meu blog de autor.

Depois lá se acalmou tudo para a aula continuar a ser lecionada! Tudo ia muito bem até aparecer o nosso coordenador de curso, informar que não teríamos aula à tarde! FESTA TOTAL!

Lá saímos depois, às 12:20, completamente felizes da vida por, no primeiro dia sem praxe, termos o nosso descanso merecido…

Diário de um #Universitário (Semana 18 a 3 de Outubro)

Publicado em Atualizado em

Diário de um #Universitário: Diário de uma Besta

18 de Setembro de 2014

Uffa… este dia horrível finalmente chegou… Quer dizer… não estava eu melhor de férias? A ler, ver séries, rever o meu manuscrito e escrever? Pois claro que estava. Mas, tenho que ser sincero: ficar em casa estava já a ser uma seca. Além do mais, é preciso ter em conta que é uma nova fase da minha vida.

Foi então com esta “filosofia” que fomos nervosos para a nossa apresentação. Foi verdadeiramente fantástica. Conhecemos as coordenadoras do curso e depois os trajados. Não houve qualquer praxe. Foi como uma introdução para aquilo que iríamos a ter na segunda-feira… Algo que, para nós, nos pareceu ser uma amostra do inferno…

22 de Setembro de 2014

Foi com grande alegria que abracei o meu horário porque aulas às segundas e terças de manhã é coisa que não temos pelo que podemos sempre ficar mais um tempo na cama, ouvindo a chuva cair obviamente lá fora.

Começamos com aulas de Introdução ao Serviço Social e depois às Ciências Sociais. Sempre com professores fantásticos. As aulas foram acabaram por ser mais uma apresentação tanto nossa como dos professores.

Até aqui tudo muito lindo… até que o relógio marcou as 17H! Hora da praxe.

Lá fomos nós, não é, para a relva onde, e sem muitas mordomias, ficamos de joelhos. E de joelhos passamos a ficar de 4 e de 4 passamos novamente a ficar de joelhos. Uma verdadeira animação. Tudo isto enquanto gritávamos os nossos nomes, idade e localidade (não gritámos lá muito, verdade seja dita. Os outros cursos pareciam, sem dúvida, verdadeiras manadas de elefantes).

Nesse dia não fizemos mais que estar de joelhos, o que resultou numa dor absurda nas articulações estando ainda mais a terra molhada, e um jogo bastante engraçado de passar a moeda em que tínhamos de estar deitados e passar de uns para os outros sem as mãos. Claro que nesta altura estávamos todos cansados, especialmente depois de termos andado a trautear as canções do curso que não saíram mais da cabeça.

Por fim, o relógio marcou as 19:30 e pronto… lá acabou o nosso “sofrido” dia de praxe. Tendo em conta as horas, pensei que a minha mãe iria pensar que eu tinha ido ao Meco e por lá ficado, mas, surpreendentemente só tinha lá uma chamada dela.

Lá fui eu, então, para casa… sem força nas canetas e de unhas pintadas, onde esperava uma refeição quentinha e uma cama.

23 de Setembro de 2014

Neste dia confesso que não me podia queixar tanto como os meus colegas de turma que tiveram praxe na parte da manhã. Tinha compromissos a que não podia faltar e olhe, perdi coisas bem porreiras!

Mas bem, depois de mais umas aulas de introdução, lá fomos para a praxe. Já com um espírito diferente do dia anterior. O problema nesse dia foi mesmo a chuva que nos obrigou a estar de joelhos num sítio mais abrigo. Mas, apesar de ser abrigado, os nossos joelhos queixaram-se do pavimento recheado de pedras e caruma.

Mas isso não foi impedimento para procurarmos canetas atados uns aos outros pelas sapatilhas, ou até fazermos os ídolos versão betas. Ou seja, eram grupos de dois que teriam de cantar e coreografar em frente aos nossos jurados: os trajados. Foi algo bastante engraçado, sendo que depois acabamos todos por ir dançando ao som das músicas que iam sendo “apresentadas”.

 26 de Setembro de 2014

Bem, as praxes acabaram! Era o que mais faltava nem à sexta-feira termos um descanso merecido depois de tanta cantoria. É cantoria, é estar de joelhos. Também variamos, claro, não pensem mal. Fazemos agachamentos, estamos de prancha ou flexões. Vocês querem melhor ginásio que este???

 29 de Setembro de 2014

Segunda-feira!!! Voltamos ao mesmo…

O meu fim de semana foi bom. Ótimo diria eu. No dia anterior (28 de Setembro) comprei o Pintassilgo – livro vencedor do Prémio Pulitzer 2014. Mal vi a sinopse do livro, rapidamente se tornou cabeçalho na minha lista de livros a adquirir. O preço dela é de malucos 28€ !! Mas, graças a Deus que tinha saldo em cartão Bertrand. Paguei o quê? 4€? E ainda fiquei com saldo no cartão! Por isso, se quiserem adquirir este livro procurem sempre os dias B! da Bertrand (20% em cartão + Portes Grátis) ou mesmo outra promoção da editora Presença. Não se assustem é com o tamanho. (É só maior que a bíblia).

Lá tivemos aulas de Introdução ao Serviço Social e mais uma aula de Introdução às Ciências Sociais – é tudo introdução, é verdade! – e, se bem que vos digo, que são aulas que se passam bastante bem e com professores excelentes.

A praxe… Mais do mesmo, claro!

Joelhos, cantar, gritar e outros jogos bastante engraçados. Também entraram novos caloiros da 2ª fase o que tornou a experiência algo semelhante à da primeira semana.

30 de Setembro de 2014

No dia anterior tinham-nos avisado de que, tendo uma nossa professora começado a leccionar no ensino secundário, só nos conseguia dar aula às terças de manhã, e não quarta de manhã. Conclusão: manhã livre de terça arruinada!

No que toca a praxes, este, na minha humilde opinião (e semelhante a de todos os outros), foi dos melhores dias que tivemos se bem que tive de ir embora mais cedo. Estivemos em frente à Câmara Municipal e Tribunal, num largo que existe em frente a ambos os enormes edifícios.

Para além de contarmos as pedras que circundavam o largo, fomos comprar ovos para podermos dançar com ele. Aos pares. Se o deixássemos cair, era simplesmente fazer como no famoso anuncio da Herbal Essences

Com isto, jogámos ao Quem Quer Ser Milionário. Uns de joelhos na frente de nós, que ficámos em pé e com um ovo na mão, sendo ele o nosso botão na cabeça dos nossos amigos caloiros. Quando soubéssemos a resposta, era só “pressionar”. Claro que depois trocámos e, apesar da sujidade e do cheiro horrível , concluímos que foi engraçada e que seria engraçado repetir…

1 de Outubro de 2014

Pois bem, se eu queria repetir, então tinha de ser logo no dia a seguir.

De manhã não tivemos aulas mas fomos a uma “praxe” solidária no estádio com pessoas idosas que foi bastante engraçado.

Na parte da tarde, depois de uma apresentação de trabalho, porque apesar de tamanho cansaço dos dias anteriores tivemos de ter tempo para ler um texto e expor as ideias principais à turma em ISS – Introdução às Ciências Sociais -, tivemos a praxe do autocarro! E o que consiste isto? Depois de ter estado a acartar garrafões de água para o dito evento, fomos para outro local onde pudéssemos estar.

O que aconteceu foi que um narrou uma história de uma viagem e nós, sentados no chão como se fossemos um autocarro. Levamos com óleo, sal, vinagre – sendo que uma semi-doutora achou-me piada e gastou uma garrafa em mim -, açúcar, ketchup, vinho, ovos e água. Claro que ficámos a cheirar a vomitado (literalmente) e que parece tudo muito nojento. É verdade! Mas foi algo super divertido e que recordaremos sempre. Tínhamos sempre gente a dar guardanapos se precisássemos pelo que medo era coisa que não existia.

No fim fomos para casa, sendo que uma semi me emprestou a capa dela para abrigar do frio já da noite. Chegar a casa foi difícil, mas depois de tirar a t-shirt à tesourada, lá tomei um banho e fui repousar.

Quis ler mais do Pintassilgo, mas eu bem que olhava para ele na mesa-de-cabeceira e só pensava: desculpa, mas não consigo manter os olhos abertos.

2 de Outubro de 2014

Hoje teríamos praxe, mas vontade de todos em ir era nula pelo cansaço. É que o pior era o facto de, não bastasse termos estado no dia anterior mais de uma hora em pé na apresentação do trabalho e da praxe nada limpa, ainda teríamos saída à noite.

Lá jantamos todos, na cantina. Claro que podia ter sido um jantar normal, claro. Tudo muito lindo. Mas eu e mais 4 fomos “convidados” a cantar e coreografar esta música lindíssima :p Foi super divertido, foi o que foi!

“Choque Térmico” – Férias (Parte 1)

Publicado em

DSC00077

Eu sempre me lembro de vir para o Algarve e, mesmo a água do mar não estando propriamente quente, eu entrava nela a correr. Este ano, cá para o sul, o tempo não é como os anos passados. Está muito mais ventoso. Contudo, a temperatura está agradável e, hoje, com os 32º graus que cá estão, o que apetece mesmo é ir a correr para o mar translúcido…


DSC00093

DSC00102

Olhem, eu bem que tentei fazer isso! Eu juro que vos tentei, e consegui até a água me bater pelos joelhos, altura em que deixei de sentir os meus pés, e por fim, as pernas. O que se seguiu tanto para mim como para o grupo que me acompanha nas férias, é dar um mergulho rápido. Claro que nesse mergulho parece que levamos uma anestesia geral porque sentir os nossos braços também se torna num desafio e fico estupefacto como é que ainda conseguia dar ordens aos braços e pernas para me tirarem daquela autentica arca congeladora.

A verdade é que quando de lá saímos sabe muito bem recebermos os raios deste sol quente de verão. Pode demorar a sentir-mos novamente o nosso corpo, é um facto, mas sabe mesmo bem. E, para descansar os que cá vêm passar férias, durante a tarde a água está bem mais quente.

 

1 Mês Que Foi Lançado “O Bater do Coração”

Publicado em Atualizado em

10352777_1441440536108239_6837699716163270130_n

Faz hoje um mês que lancei o meu primeiro livro. Foi sem dúvida um dia bastante especial e que eu não poderia deixar de expressar a minha alegria ao receber as vossas opiniões e comentários. É bom saber que choram com a história, que se apaixonam pelas personagens, tal como eu me apaixonei… Que quando estão a ler é como se viajassem.

É bom saber também que gostam do final que escrevi para vocês e depois do extra – a carta – , que completa a história.

Sem dúvida que escrever este livro foi um enorme desafio e o maior veio depois da sua conclusão.

Eu comecei a escrever a história em Março de 2012, ou seja, tinha lá os meus 17 anos e com muito para aprender, uma aprendizagem que, tal como tudo na vida, é sempre contínua. Acabei de escrever a história em Novembro, penso, do mesmo ano, e a parte difícil foi o depois disso. Toda a revisão feita para que eu conseguisse manter o mesmo tipo de escrita aquando da escrita do livro bem como de todas as emoções que tinha sentido, que se traduzem nas palavras escolhidas.

Como tal, fico contente que estejam a gostar, resultou numa leitura leve. Resultou numa história que eu queria contar e, como tal, também transmitir uma mensagem. Mas deixo essa para quem o leu ehehe.

SONY DSC

Irei fazer outra sessão de lançamento mas ainda não vos consigo dar muitos detalhes pelo que fiquem atentos às próximas semanas 🙂 !

Obrigado também na rede social dos leitores e autores: Goodreads.

Podem classificar e comentar o livro aqui e podem também fazer as vossas perguntas aqui, e ver todas as outras perguntas a que respondi. As perguntas a que respondi até agora são:

capa original

De onde tiraste a ideia para o teu livro mais recente?
Como arranjas inspiração para escrever?
No que estás a trabalhar agora?
Que conselho dás para aspirantes a escritores?
Qual é a melhor coisa em ser um escritor?
Como lidas com o bloqueio de escritor?

Podem fazer as vossas perguntas relativamente à história lá 🙂

O Bater do Coração já está nas livrarias – sabe mais aqui

 

 

 

 

Publicado originalmente em https://obaterdocoracao.wordpress.com a 7 de Julho.

Se quiseres ser o primeiro a saber das últimas entradas, subscreve o blog 🙂