Dicas de Escrita

Gotas da Vida

Publicado em Atualizado em

clip_image002Todos os dias olho pela janela, desejando estar aí fora… contigo. Desejando poder sentir as gotas de água caírem-me na cara e com elas, lavar todo o meu ser: diluir as minhas mágoas… as minhas tristezas… as minhas desilusões.

Fecho os olhos. Estou aí contigo.

Sinto-te! Sinto que não estou sozinho. Sinto que estou acompanhado…

Não me importando com o facto de me poder molhar, afinal de contas, estou com um amigo, sento-me no chão, abraçando o meu amigo recém-chegado… Aquele que aparece só de vez em quando e que com ele me dá a melhor alegria… a alegria de não me julgar.

Encosto a cabeça ao muro de pedra, de olhos fechados, pensando… pensando no que não quero pensar. Pensando no que quero pensar. Pensando no que não deveria pensar… Pensando em como te queria aqui sempre…

Continua a ler

Uivares–O Processo Criativo Pt.1 – "Estudando a Ideia”

Publicado em Atualizado em

Olá a todos, ao longo destas semanas vos vou falar sobre o processo criativo relativamente à criação deste meu novo original.

DSC_1985

 

E porquê? Pois quero ajudar pessoas que passam por dificuldades em ter ideias ou a onde as ir buscar, ou simplesmente para criar uma ligação com os meus leitores.

Uivares era uma história que eu sempre quis escrever. Contudo, era uma história que necessitava de preparação. Uma preparação que só consegui ter depois de ter passado por “O Bater do Coração”.

 

Eu sempre adorei os lobos, acho que são uns animais completamente fascinantes, mas ao mesmo tempo cruéis. Sempre achei interessante criar a minha história de sobrenatural envolvendo então estes animais tão fantásticos.

DSC_1867DSC_1984

O que acabei por fazer foi estabelecer uma ideia muito básica do que eu queria. Posteriormente, desenvolver essa mesma ideia. Ou seja, comecei por criar um romance com lobisomens. Agora imaginam e pensam vocês: mas isso acaba por ser mais um romance, o que muda são as variáveis e a maneira como é contada a história. Claro que isso é bastante importante, mas agora é pôr a nossa cabeça a pensar, pensando no que poderemos criar.

Comecei então a ir escrevendo no meu caderno e foi a melhor coisa que fiz. Ter escrito num caderno de bolso é fantástico pois permite termos tudo lá presente quando estamos a escrever em frente ao computador, para além de facilitar a escrita imediata quando temos alguma ideia a ser desenvolvida, ponderada.

Ler outros livros é algo sempre bastante importante. Tentar ver como é que os escritores escrevem e como descrevem determinados sentimentos, emoções e espaços, sejam então esses sociais ou espaciais.

DSC_2175

Original Publicado em http://diogosimoeswrite.wordpress.com/