NASA

O planeta Terra visto de Marte

Publicado em

Foi esta semana que foi revelada uma imagem tirado pelo robô Curiosity que foi enviado para Marte em 2011 e, lá aterrou em Agosto de 2012.

Parece que foi a vez de o “nosso companheiro” levar os “olhos” ao céu. O resultado está aí, uma fotografia de um ponto minúsculo mas que, sendo minúsculo ou não, faz toda a diferença.

2014-02-08190928_f7664ca7-3a1a-4b25-9f46-2056eef44c33$$72F445D4-8E31-416A-BD01-D7B980134D0F$$949C5F07-109C-4E42-9EAB-8695725B86B9$$storage_image$$pt$$1

 

 

 

+Marte: Curiosity Volta a Funcionar Normalmente

Publicado em Atualizado em

Estou certo que estão recordados da notícia que vos dei ainda esta semana. Bem, parece que existem mais desenvolvimentos, avançados pela agência espacial NASA:

Curiosity volta a funcionar normalmente após dois dias inactivo

 

Curiosity volta a funcionar normalmente após dois dias inactivoApós dois dias de inactividade devido a uma falha no sistema informático, o robot Curiosity voltou a funcionar normalmente em Marte, anunciou terça-feira à noite a NASA.

 

O Curiosity registou um problema de software no passado sábado e os responsáveis da missão decidiram manter o robot inactivo por precaução até o «bug» estar solucionado.
A 28 de Fevereiro, o Curiosity sofreu de problemas na memória flash do seu computador principal, tendo sido necessário activar o computador de emergência.
«Calculamos que retomaremos as análises de amostras de rochas até ao final da semana», disse Jennifer Trosper, uma das responsáveis da missão Curiosity no laboratório da NASA em Pasadena, na Califórnia.
A NASA deve realizar alguns testes antes de reactivar o robot em solo marciano.
Os engenheiros da missão estão a preparar um dispositivo especial para transmitir as ordens ao Curiosity durante grande parte de Abril, quando Marte passar por trás do Sol em relação à Terra, um mecanismo de precaução para evitar interferências solares.
O Curiosity já cumpriu o seu principal objectivo, tendo a NASA anunciado a 12 de março que análises minerais do interior de uma rocha demonstraram que Marte pode ter abrigado vida microscópica no passado.
Em agosto do ano passado, o Curiosity pousou na cratera de Gale para uma missão de exploração de pelo menos dois anos.

Fonte: Diário Digital

+Marte: Missão do Curiosity em Marte continua suspensa após segunda avaria”

Publicado em Atualizado em

Mais uma notícia de Marte, depois de vos ter falada de uma avaria informática no computador principal. Acontece que, aconteceu outra:

O robô Curiosity da NASA, em Marte, sofreu um segundo contratempo de ordem informática, o que manteve em suspenso a missão de exploração do «planeta vermelho».

O veículo tinha sofrido no início do mês um erro que fez com que os computadores de emergência tomassem controlo do funcionamento das máquinas, tal como foram concebidos para o fazer.

Desta forma, o Curiosity entrou em «modo de segurança», pela segunda vez em três semanas.

Segundo a NASA, o erro ocorreu quando um ficheiro de comando a correr no computador de backup falhou durante uma análise de tamanho desencadeada por software de protecção.

A Agência Espacial Norte-Americana concluiu que um «bug» no software tinha ligado um ficheiro (que não está relacionado) ao ficheiro sob análise, o que provocou um erro na análise aos tamanhos dos ficheiros.

Recorde-se que a 27 de Fevereiro, o computador principal do rover sofreu um problema de memória e os profissionais do Jet Propulsion Laboratory (JPL), a cargo da missão, mudaram o comportamento do Curiosity para o «modo de segurança».

«Ainda não sabemos exactamente o é que se passou», disse John Grotzinger, cientista do projecto Mars Science Lab. «Não sabemos ainda se foi um problema de hardware ou um evento relacionado com radiação».

De momento, o computador principal está a servir de computador de backup para o (verdadeiro) computador debackup, e a equipa do JPL já fez o upload (envio) de correcções de software para tentar resolver o problema em Marte.

A NASA desvalorizou a importância deste novo contratempo, sublinhando que o rover «está estável, saudável e em comunicação com o JPL».

Fonte: Diário Digital

Vida Extraterrestre em Meteorito

Publicado em

Foi mesmo isso que acabaram de ler. Foram descobertos fósseis num meteorito que caiu no nosso planeta. Confere a notícia:

Cientistas descobriram vida extraterrestre em fragmentos de meteorito

Equipa de investigadores da Universidade de Cardiff descobriu formas de vida fossilizadas nos restos de um meteorito que caiu no Sri Lanka

 

Uma equipa de investigadores da Universidade de Cardiff, no Reino Unido, acredita que descobriu provas de vida extraterrestre nos fragmentos de um meteorito, informa o «Daily Mail».
Os cientistas analisaram centenas de restos do meteorito que caiu a 29 de dezembro no Sri Lanka e, através de imagens microscópicas, descobriram formas de vida fossilizadas que não existem na Terra.
Os especialistas garantem que os tipos de algas encontradas já estão extintas na Terra e que não houve qualquer contaminação dos fragmentos antes de serem analisados.

Fonte: TVI24

“Sonda revela que pode ter existido vida em Marte”

Publicado em Atualizado em

Será que é desta que teremos 100% de certezas? Bem, nada melhor do que esperar, certo? Contudo, pelo que nos é dito na notícia poderemos ter alguma esperança de que, de facto, existam grandes certezas. Veremos:

Sonda revela que pode ter existido vida em Marte

por Helder RobaloSonda revela que pode ter existido vida em Marte

Os cientistas da NASA dizem que os testes sobre uma rocha de Marte mostram que o planeta poderia ter abrigado vida primitiva.

A análise foi feita pelo sonda Curiosity que, depois de perfurar na rocha, a esmagou e testou uma pequena amostra.

Numa conferência na sede da Nasa, em Washington, os cientistas da Nasa adiantaram que a rocha contém minerais de argila que se formaram num ambiente aquoso, ou seja, um ambiente que pode ser favorável há existência de organismos microscópicos.

Recentemente a Curiosity já tinha encontrado evidências de água em Gale. No final do ano passado, a sonda identificou os restos de um antigo sistema de leito do rio, onde a água terá fluído, talvez com um metro de profundidade.

“Encontramos um ambiente habitável, que é tão benigno e passível de suportar vida que, muito provavelmente, se existisse água e você lá estivesse poderia beber dela sem qualquer problema”, salientou John Grotzinger, um dos cientista que integra a equipa da Curiosity.

Fonte

+Ciência: #Marte–“#Curiosity suspende operações devido a problema em computador”

Publicado em

Todos nós sabemos que existem sempre problemas que podem surgir, especialmente quando falamos de computadores/sistemas informáticos de alta qualidade e com funções sem precedentes.

Vejam a notícia que retrata isso:

Curiosity suspende operações devido a problema em computador

Curiosity suspende operações devido a problema em computador

O robot Curiosity, que se encontra a explorar Marte, suspendeu temporariamente as suas experiências científicas até à resolução de um problema num computador, informou sábado a Agência Espacial Norte-americana (NASA) no seu site.

Segundo o Jet Propulsion Laboratory (JPL), em Pasadena, que coordena a missão, o Curiosity foi colocado em stand-by esta semana para preservar os sistemas informáticos enquanto se resolve o problema do mau funcionamento da memória flash.

O Curiosity está equipado com computadores de emergência que assumem o controlo em caso de avaria no computador principal.

O robot continua em contacto com a Terra, suvblinhou o JPL.

Fonte: Diário Digital

+Ciência » #Marte–Perfurando o Solo Marciano (#Curiosity)

Publicado em Atualizado em

Já passa algum tempo desde a última vez que temos notícias mais concretas sobre o que se passa no planeta vizinho. Desta vez, existem desenvolvimentos na 1ª perfuração que o robô mais inteligente fez. Confiram a notícia escrita pelo Diário de Notícias:

Curiosity descobre que o interior de Marte é cinzento

Curiosity recolhendo as primeiras amostras cinzentas do subsolo marciano

Curiosity recolhendo as primeiras amostras cinzentas do subsolo marcianoFotografia © Reuters

O planeta vermelho, só é vermelho por fora. O robô norte-americano Curiosity conseguiu extrair uma rocha cinzenta do interior do planeta. Esta operação representa um feito histórico já que é a primeira vez que a NASA consegue recolher uma amostra do interior de um planeta.

“A equipa científica está muito emocionada com o facto de estas amostras não serem da cor vermelha que associamos ao planeta Marte”, afirmou Joel Hurowitz, responsável pelo sistema de recolha de amostras do Curiosity.

Segundo o jornal espanhol “ABC”, para o períto da NASA “a cor vermelha do planeta deve-se à oxidação do ferro contido nas rochas e quando se explora abaixo da superfície consegue-se ver mais do que revelam as camadas superfíciais”.

Os investigadores acreditam que a amostra agora recolhida terá indícios de que no passado poderá ter havido água em Marte e por conseguinte, o planeta poderia ter tido condições para permitir formas de vida.

A pequena rocha extraida pelo Curiosity mede apenas 1,6 centímetros de diâmetro, é de origam sedimentária e será analizada por um instrumento chamado “In-Situ Martian Rock Analysis”.

A equipa da NASA chamou a esta amostra histórica “John Klein”, em homenagem ao responsável adjunto do programa Curiosity, falecido em 2011.

 

E vocês? Têm acompanhado as várias investigações e progressos no planeta marciano? Acham importante todo este conjunto de apostas? Incluindo a sua colonização?

+Ciência: “NASA divulga primeiras imagens de asteróide que se aproxima hoje da Terra”

Publicado em

Hoje serão estas as notícias que marcarão o dia… cá fica mais uma Smiley de boca aberta

A agência espacial NASA divulgou na quinta-feira as primeiras imagens do asteróide 2021DA14, que hoje deverá passar a apenas 27.860 quilómetros da Terra, a maior aproximação registada de um objecto cósmico perigoso para o planeta.

Na página oficial de internet, e de acordo com a EFE, a NASA publicou uma sequência animada, a preto e branco, constituída por três imagens, nas quais se consegue ver o percurso do asteróide, quando este se encontra ainda a 748 mil quilómetros da Terra.

A sequência é da autoria dos astrónomos do observatório italiano de Remanzacco, a partir de imagens capturadas através de controlo remoto pelo telescópio Faulkes South, localizado em Siding Springs, na Austrália.

O asteróide, denominado 2012DA14, foi detectado há um ano por astrónomos no observatório La Sagra, em Maiorca e é do tamanho de metade de um campo de futebol.

Lusa/SOL

“Asteroide passa amanhã junto à Terra entre satélites de comunicações”

Publicado em

Amanhã, dia 15 de fevereiro, um asteroide vai passar “bem perto” da Terra como refere a NASA. Em termos comparativos, o 2012 DA 14 como é conhecido vai ficar dez vezes mais próximo do planeta do que a distância que separa os terrestres da Lua.

Os cálculos dos físicos e astrónomos não mostram qualquer tipo de perigo de embate entre o asteroide e o planeta azul, mas podem representar uma ameaça concreta para os satélites de meteorologia e telecomunicações. A distância a que o 2012 DA 14 vai passar a Terra é tão curta que vai atravessar o anel onde estão instalados os satélites artificiais.

A agência espacial norte-americana fala num recorde de aproximação entre um objeto deste tamanho – 45 metros de diâmetro – e o planeta. No auge da passagem, os dois corpos celestes vão estar separados por 28 mil quilómetros. À hora de publicação deste artigo faltavam cerca de 30 horas para o ponto de aproximação mais curto e cerca de 428 milhões de milhas até que o 2012 DA 14 atinja essa marca.

Em Portugal o asteroide pode ser visto com o recurso a binóculos ou telescópios destinados a observadores amadores. Vai ser mais um ponto luminoso no céu, mas que se desloca na direção da constelação de Virgem, e que pode ser observado entre as 19:40 horas em território continental e as duas horas da manhã do dia seguinte.

Os menos sabidos podem fazer recurso a aplicações “interestelares” que transformam os smartphones em verdadeiros mapas celestiais. O Google Sky Mappara Android, o Star Chart para iOS ou Windows Phone, e o Stellarium para BlackBerry são apenas algumas das opções que estão disponíveis e que ajudam a orientação no céu.

Fonte

“Asteróide vai «rasar» a Terra a 15 de Fevereiro, NASA descarta perigo de colisão”

Publicado em Atualizado em

Já não é a primeira nem será a última vez que aparecerá aqui no blog uma notícia de asteroides. Cá fica uma, mas desta vez com uma data mais recente, e com uma data a reter para quem dá importância as estes fenómenos!

Notícia: Diário Digital

Asteróide vai «rasar» a Terra a 15 de Fevereiro, NASA descarta perigo de colisão

Asteróide vai «rasar» a Terra a 15 de Fevereiro, NASA descarta perigo de colisão

 

O asteróide «2012 DA14», com 45 metros, vai «rasar» a Terra no próximo dia 15 de Fevereiro, mas a NASA assegura que não haverá risco de colisão.

O corpo celeste, descoberto pelo observatórioLa Sagra, em Espanha, passará a 35,8 mil quilómetros do nosso planeta. Será às 19:26 de dia 15 que o asteróide estará mais próximo do «Planeta Azul».

Não será possível observar a olho nu o 2012 DA14, que poderá no entanto colidir com algum dos satélites de comunicações terrestres.

Depois desta aproximação, o asteróide deverá passar na zona de sombra da Terra, permanecendo ali durante perto de 18 minutos, antes de reaparecer.