desabafos

“Eu não roubei nada… Eu não roubei nada…”

Publicado em

Olá olá a todos, como estão?

Estava eu hoje a falar com o meu círculo de amigos e, um dos assuntos que veio ao de cima foi como por vezes, aqueles sensores das lojas, sabem?, que estão à saída (e à entrada, claro, mas é à saída que eles ganham outra dimensão), apitam por, por vezes, serem afetados por cadeiras de rodas.

fnac_amoreiras

Pois bem, mas é sobre o que vos disse entre os parênteses que vou falar. É que é terrível. Vocês entram numa loja, completamente descontraídos, com o pensamento: vamos lá ver o que vamos aqui encontrar. Os minutos se for preciso passam e, sem encontrar nada, lá vamos nós embora. E é nesse momento, quando nos encaminhamos para a saída, pé ante pé, que um certo nervosismo começa a crescer. Algo que nos faz se for preciso acelerar o passo. Nós não comprámos nada, nós não roubamos nada, mas, inesperadamente, a ansiedade passa e tal sensação só passa quando passamos por aquelas “barras” metálicas.  Será que temos algo nos bolsos. Será que é como nos filmes e alguém nos pôs algo na mochila?

Por fim, lá passamos nós, com um pé nervoso, aquela barreira que separa a loja do exterior.

Um suspiro de alívio é a primeira coisa que se faz involuntariamente.

“Beep beep boop”

Publicado em Atualizado em

Beep beep boop é aquilo que o WordPress apresenta antes de adicionarmos um novo post. Estava eu então a olhar para o … para o beep beep boop, a tentar saber do que iria falar com vocês hoje, nesta noite chuvosa de domingo…

Domingo…

É mesmo isso! Hoje é domingo, o que quer dizer que a segunda-feira está a horas de entrar pelas nossas vidas. Estou eu tão bem, sentado no sofá, com headphones nos ouvidos (mesmo não estando a tocar nada) e a espreitar por cima do monitor as coisas que dão na nossa TV portuguesa. Neste momento estou sintonizado na RTP, a ver o The Voice Kids. Aos fins-de-semana estou sempre reservado para o estudo e séries (não necessariamente nesta ordem), sendo que, às noites de domingo, mantenho o meu tempo reservado para escrever, que é coisa que não me apetece neste momento.

Sendo assim, perco passo tempo no Facebook ou Twitter, onde soube que os livros fantásticos da Cassandra Clare, passaram do cinema para a TV, o que é fantástico. Eu, pessoalmente, prefiro livros adaptados a séries do que a filmes, mas, por alguma razão, a grande fixação é sempre o grande ecrã. Compreendo sempre que o dinheiro que se gere é maior e o território alcançado também, mas, tendo em conta que os livros são sempre muito profundos, não é melhor ter em vista uma série de televisão?

Falando em filmes e tudo o mais… aproveitando a promoção da Promofans de cinema a 2€, fui na sexta-feira ver o filme português: Os Gatos Não Têm Vertigens.  Fui eu e mais um punhado de gente e, devo dizer-vos que gostamos bastante da história. O elenco está muito bem escolhido e a história, para alem de ser real, está muito bem escrita. Claro que a minha ida aos movies não se ficou por aqui. Ontem fui ver o The Equalizer e, meus senhores, que FILME FANTÁSTICO. A história… eu não vou revelar-vos da história porque estraga as surpresas reservadas para a 2ª parte do filme. Digo só que os atores são fabulosos e todo o ambiente do filme está muito bem construído.

Lembram-se que disse que não estava a ouvir música? Pois bem, a que agora toca é a Nightcall dos London Grammar que descobri pelo fantástico comercial que também aqui vos deixo!

Desfrutem desse belo som que eu vou fechar os olhos e ouvir a chuva chicotear as janelas…

Boa noite ^^