portugal

ARTISTAS DO NOSSO (SOMOS) PORTUGAL (EM FESTA)

Publicado em

Por Andreia Firmino

Todos os domingos somos brindados com os fantásticos programas da televisão portuguesa, onde apresentadores viajam, comem e bebem por esse país fora e nós somos “obrigados” a levar com música pimba (e má) toda a santa tarde. Qual não e o meu espanto quando este domingo passo por um desses programas na tv e oiço “fazemos o Somos Portugal desde julho de 2011”. 2011? Como assim 2011? Já são mais de 3 anos sem filmes nas tardes de domingo? Mais de 3 anos com tardes de domingo ocupadas por música reles? Oh meu Deus… Como o tempo passa. E o mais grave é que não se vê o fim disto.

Pois que a ver um destes programas diz a minha Mãe “hoje em dia qualquer um é cantor” e eu respondo “qualquer dia sou eu” e continua ela “na televisão?” e após a minha resposta afirmativa ela diz que seria um orgulho, “sempre quis que fosses artista, mas nunca tiveste queda para essas coisa”. Como assim não tive queda para essas coisas? EU SOU do mais ARTISTA que há! Depois de tal afirmação, que me atingiu como se fosse uma facada, não demorei a mostrar à minha mãe o meu talento para as cantorias (que é nenhum). Dei um autêntico concerto privado com direito a discos pedidos e tudo, mas nisto ela abandonou o meu concerto e foi a casa do meu avô. Quando lá chegou lá estava a dar uma música na rádio que ela achou adequada para eu cantar e não esteve com meias medidas… Desligou o rádio da ficha e trouxe-o até nossa casa para me mostrar a música que queria que eu cantasse. Surpresa das surpresas… Quando chegou a nossa casa e ligou o rádio já a música tinha acabado. Triste, continuo a dizer “gostava mesmo que cantasses aquela música”.

E é isto que eu sofro em casa. Mas preparem-se, quando menos esperarem entro nas vossas casas através do ecrã da televisão a interpretar uma música foleira qualquer que tenha uma batida mexida e fale de amor.

Diário de um #Universitário (8 de Outubro de 2014)

Publicado em

8 de Outubro de 2014

DSC00535

Devem estar a pensar que tenho montes de coisas para vos contar desde a última atualização de ontem, mas a verdade é que apenas vim falar do quão contente estou com o regresso da chuva!

Não é surpresa para ninguém que eu ADORO o INVERNO! Ou seja, chuva (estou aqui na guerra com o teclado para ele não escrever chuva com letra maiúscula), trovoada, vento e … No que toca a este último devo confessar que aqui em Leiria ele apareceu mais cedo e varreu as árvores todas, trazendo o outono mais cedo. Mas verdade seja dita, não anda tudo adiantado nestes dias? Mas porque gosto eu do inverno? Pois bem, vamos começar com o calor…

Admitam, quando está calor, quando temos aquele verão “a sério”, ficarmos confortáveis é algo terrível e difícil. Quantas foram as vezes em que dormiam com as janelas abertas, sem pijama, ou mesmo sem lençóis? E quantas dessas vezes o “problema” não se resolvia? Nem com uma perna de fora! Com o frio isso não existe! Claro que andamos mais vestidos, compreendo, mas se está frio, fica muito mais fácil encontrarmos um estado de equilíbrio para que fiquemos confortáveis. E a chuva? Uiii. Não há melhor banda sonora para uma boa noite de sono. Ouvir a chuva cair, e nós, no nosso conforto de reis e rainhas.

Isto tudo para vos dizer que hoje choveu a potes! Mas a potes mesmo! E como a escola fica num terreno a tender para o inclinado, parecia que tínhamos quase Veneza à porta. Uma coisa é certa: as minhas sapatilhas ficaram encharcadas! Uns tiveram que até ir pela relva que era até mais seguro.

Que mais coisas tenho para vos contar… hum…. bem, a aula passou-se bem, apesar de que a última meia hora ter sido horrível de passar pelo calor da sala. Mas lá saímos contentes para ir para casa. Também é de realçar que o nosso professor de MACS disse que colocaria os materiais na plataforna online, o mais tardar, no fim de semana (isto foi dito na passada quinta-feira). Pois bem, amanhã faz uma semana e, quanto aos materiais… nem sinal.

Diário de um #Universitário (3 a 7 de Outubro de 2014)

Publicado em

3, 4 e 5 de Outubro de 2014

Meu Deus! O bem que estes dias me fizeram. Vocês não têm ideia das saudades que eu tinha em acordar às horas que quisesse. Claro que fiz algumas coisas, não é? Vi séries, estive com a namorada num ótimo passeio por Leiria (em que tirei fotos com a minha lente – QX10 -, que em breve terá a sua review). Publiquei as fotos das paisagens e isso no meu albúm no Flickr.

Fomos também ao cinema ver o Maze Runner e, devo dizer-vos que adorei por completo. Achei muito bem realizado e com um argumento muito bom. Já me disseram que está também bastante fiel ao livro e, se não fosse por ter uma pilha gigante de livros para ler, também adicionava esta trilogia lá. O filme deixa ainda em aberto inúmeras questões e esse é dos grandes pontos fortes do filme.

Mas atenção! Eu também tive a estudar!!! Ainda foram umas belas horas passadas no meio de apontamentos e mais apontamentos.

6 de Outubro de 2014

Segunda-feira! Dia em que a tortura! Dia em que as aulas só começam às 14H! Eu escrevi tortura mas devo dizer-vos que tanto as aulas como professores são fantásticos. E, prova disso, é ter estado a falar com a professora de Introdução ao Serviço Social – ISS – sobre o meu próximo livro a ser publicado em que tinha algumas dúvidas sobre a um determinado tema. Fui então convidado a assistir a uma palestra de Medicina Legal no próximo mês de Novembro.

Se havia praxe neste dia… pois bem, claro que havia… Mas eu fui? Não! Motivos de força maior levaram a que me fosse impossível estar naquele que, segundo sei/vi/ contaram foi de festa. Foi a praxe do turista. É onde se anda pela cidade a conhecer os principais pontos. Claro que tem muito mais piada se for para pessoas que não vivem cá, em Leiria. Mas resumindo, lá fui eu para casa, todo contente.

Parte desta alegria foi também pela voltou da promoção do cinema a 2€ em que temos de levantar um vale pelo site da Promofans. Claro que eu bem que lá estive até…

7 de Outubro de 2014

… estive até perto da meia noite e meia e nada. Aquilo não parava de dizer que estava esgotado. Mas foi precisamente quando eu saí, (porque a minha melhor amiga me disse) que deu para tirar vales… Por isso, hoje será F5 all night long!

As aulas começaram então às 9:30 com Comunicação em Língua Portuguesa – porque não chegou a disciplina de LP ao longo de mais de uma década. A aula lá passou, vagarosamente, e foi quando a nossa professora recomendou que devíamos ler um livro, que uma colega minha gritou: “-Eu quero é ler O Bater do Coração!”. Foi nesse momento, que a algazarra se intensificou com perguntas a mim se eu tinha mesmo publicado um livro e todas aquelas perguntas que estão na área FAQ do meu blog de autor.

Depois lá se acalmou tudo para a aula continuar a ser lecionada! Tudo ia muito bem até aparecer o nosso coordenador de curso, informar que não teríamos aula à tarde! FESTA TOTAL!

Lá saímos depois, às 12:20, completamente felizes da vida por, no primeiro dia sem praxe, termos o nosso descanso merecido…

Dia 7 de Junho – Lançamento d´O Bater do Coração

Publicado em

Boa noite a todos 😀

Pelo título do post já sabem do que vou falar! Vamos começar do princípio? Vamos recuar até Agosto de 2013.

Foi no mês de Agosto que assinei contrato de edição com a Chiado Editora depois de ter recebido a proposta em Março do mesmo ano. Desde esse dia que a minha vida mudou completamente. E mudou pois eram os primeiros passos de um sonho que no passado dia 7 se tornou realidade.

Depois de muita revisão, em que se chega a uma altura em que nem letras vemos à frente, em Fevereiro deste ano lá seguiu a obra. Depois a partir daí foi a paginação, design de capa e marcar o lançamento (dito assim resumidamente).

Eu lembro que há dois meses olhava para o calendário e via que o dia teimava em não chegar. Mas quando entramos neste mês de Junho parece que os relógios turbinaram e o dia chegou! O dia 7 de Junho de 2014!

O dia anterior começou com nervosismo quando eu e a Patrícia Braz (que também é foi uma das oradoras), nos lembrávamos que era “já amanhã”. Foi um dia que se passou bem com o terminar das aulas e com mais um grande amigo nosso – João Umbelino. Tiramos fotos, vimos a referência ao lançamento depois no Jornal de Leiria o que nos fez lembrar novamente do dia que era amanhã. Era o dia pelo qual eu esperava há anos.

No sábado fomos logo depois do almoço para o Hotel para prepararmos a sala: pôr os livros em exposição para a venda, o bolo e alguns outros pormenores.

SONY DSC

Ao longo da tarde o telefone foi coisa também que não deu sossego principalmente porque há sempre pessoas que não conseguiam ir por trabalho, exames/frequências e que por isso não estavam na cidade.

Os relógios marcavam as 17H20min quando tudo começou.

Primeiro atuou a minha amiga de infância, a minha mana, a Patrícia Pratas. Foi uma atuação fantásticas e todos que lá estavam podem dizer o mesmo. Claro que antes não deixou de dizer palavras fantásticas que traduziram bem o meu começo. Quando eu lhe pedia sempre para ver o que escrevia para depois publicar. Era mesmo das poucas pessoas próximas de mim que sabia do meu amor pela escrita.

 

Depois falou o representante da Chiado Editora falando do trabalho fantástico da editora e na aposta nos autores portugueses o que é, sem dúvida, algo fantástico.

Logo após a sua intervenção foi a vez de duas grandes amigas minhas, a Patrícia Braz e a Ana Rita falarem. Foi um texto fantástico que sem dúvida publicarei assim que o tiver em mãos 😀 !

Continua a ler…

Doar Sangue!

Publicado em

como-doar-sangue

Boas noites,

Se existe coisa de que vos quero falar é do meu desejo de dar sangue. Sei que poderia ter um desejo diferente, não era? Mas bem, dar sangue acho que é uma coisa fantástica e se nós tivermos essa oportunidade – e com isto refiro-me a não dar o badagaio ao ver sangue -, é algo que o devemos fazer. Além do mais, residentes em Portugal, penso que viram na última semana que existem certos tipos de sangue que estão em falta (nomeadamente O- (dador universal).

Mas bem, o que eu vos quero apresentar aqui é, se estiverem interessados, (ou não), ou estiverem a elaborar um trabalho ou, simplesmente, por curiosidade, todas as informações para que vocês possa ser dadores! Até porque, e segundo este artigo: “durante o período que antecede o carnaval as doações de sangue normalmente caem até 50%.”

Penso que muitas destas quebras, para além de nos anos anteriores terem resultado do feriado e eventuais pontes, poderá ter a ver com a quebra de algumas das vantagens que os doadores de sangue tinham no passado, tal como a isenção de taxas nas consultas médicas, direito a faltar ao trabalho em alguns dias e …

Vamos começar?

Posso dar sangue?

Pode dar sangue se tiver bom estado de saúde, hábitos de vida saudáveis, peso igual ou superior a 50kg e idade compreendida entre os 18 e os 65 anos.  Para uma primeira dádiva, o limite de idade é aos 60 anos.

Não dê sangue se:

– alguma vez utilizou drogas por via endovenosa.
– teve contatos sexuais a troco de dinheiro ou drogas.
– sendo homem ou mulher, teve contatos sexuais com múltiplos(as) parceiros(as).

se foi parceiro sexual de:

– qualquer dos grupos anteriores.
– seropositivo para o Vírus de Imunodeficiência Humana – VIH.
– portador crónico do Vírus da Hepatite B e Hepatite C – VHB, VHC.

e, ainda se:

– tem história familiar de Doença de Creutzfeldt-Jakob e variante – DCJ, vDCJ.
– fez tratamento com hormona de crescimento, pituitária ou gonadotrofina de origem humana.
– fez transplante de córnea ou dura-máter;
– fez transfusão.
– tem Epilepsia, Diabetes insulino-dependente ou Hipertensão grave.

– teve parto nos últimos 6 meses; está a amamentar (adiar 3 meses após cessar o aleitamento).
– foi operado nos últimos 4 meses (6 meses caso tenha tido complicações).
– fez endoscopia nos últimos 4 meses.
– fez tatuagem ou piercing nos últimos 4 meses.
– fez tratamento dentário (por exemplo extração dentária) há menos de uma semana.
– teve um novo(a) parceiro(a) sexual nos últimos 6 meses.

Intervalo entre dádivas

Os homens podem dar sangue de 3 em 3 meses (4 vezes/ano) e as mulheres de 4 em 4 meses (3 vezes/ano) sem qualquer prejuízo para si próprios. Uma unidade de sangue total representa aproximadamente 450ml. Cada pessoa tem em circulação 5 a 6 litros de sangue, dependendo da sua superfície corporal. O sangue doado é rapidamente reposto pelo nosso organismo. Não há qualquer possibilidade de contrair doenças através da dádiva de sangue, pois todo o material utilizado é estéril e descartável e usado uma única vez.

Taxas Moderadoras

No que diz respeito aos critérios para atribuição de isenção aos Dadores de Sangue, aCircular Normativa Nº 30/2013 de 30 de setembro, da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), explicita  que os Dadores de Sangue podem beneficiar da isenção do pagamento de taxas moderadoras nas seguintes condições: se tiverem efetuado mais de 30 dádivas na vida ou se tiverem duas dádivas nos últimos 12 meses, incluindo os candidatos à dádiva impedidos temporária ou definitivamente de dar sangue desde que tenham efetuado 10 ou mais dádivas válidas.

Lê toda a informação AQUI!!!

Cartão Nacional de Dador de Sangue

CND_novo

20 Dúvidas sobre a Dádiva de Sangue

1. – Para dar sangue,« terei que fazer uma inscrição prévia?

2. – Eu já tive várias doenças no passado. Poderei ser dador de sangue?

3. – O sangue doado não me vai fazer falta?

4. – O meu tipo sanguíneo será mesmo necessário?

5. – Conseguirei ultrapassar o meu receio de dar sangue?

6. – Ainda não atingi a maioridade, Poderei dar sangue?

7. – O meu peso será suficiente para ser dador?

8. – Já dei sangue este ano. Posso repetir a dádiva?

9. É permitida a venda de sangue?

10. – Após a dádiva sentir-me-ei enfraquecido?

11. – Sei que já existem muitas pessoas que dão sangue. A minha dádiva irá fazer diferença?

12. – Onde posso dar sangue?

13. – Não tenho muito tempo livre. Quanto tempo terei de despender para dar sangue?

14. – Poderei ser recusado como dador de sangue?

15. – A dádiva de sangue é obrigatória?

16. – Se algum dia precisar de sangue, ao recorrer a um serviço privado terei acesso ao sangue que necessitar?

17. – Será que o meu sangue presta?

18. – Causa-me transtorno deslocar-me para dar sangue. Haverá outra forma de poder contribuir com a minha dádiva?

19. – Poderei dar sangue apenas quando alguém próximo de mim precisar dele?

20. – Poderei ausentar-me do meu locar de trabalho para dar sangue?

Descobre as respostas aqui

Será que vos consegui “atrair”?

Eu confesso que a única coisa que me mete confusão é a velocidade a que o sangue sai. De qualquer das maneiras pensem nisso. Não é preciso darem muitas vezes ao ano. O que interessa é que, no fim, o vosso sangue poderá vir a salvar alguém no futuro.

Todas as informações foram retiradas do site:

Espaço Dador – Instituto Português do Sangue

Relativamente à notícia que referi, podem encontrar aqui já bons resultados daquilo que foi uma sensibilização por parte dos media:

Agradecimento e Alerta