terra

O planeta Terra visto de Marte

Publicado em

Foi esta semana que foi revelada uma imagem tirado pelo robô Curiosity que foi enviado para Marte em 2011 e, lá aterrou em Agosto de 2012.

Parece que foi a vez de o “nosso companheiro” levar os “olhos” ao céu. O resultado está aí, uma fotografia de um ponto minúsculo mas que, sendo minúsculo ou não, faz toda a diferença.

2014-02-08190928_f7664ca7-3a1a-4b25-9f46-2056eef44c33$$72F445D4-8E31-416A-BD01-D7B980134D0F$$949C5F07-109C-4E42-9EAB-8695725B86B9$$storage_image$$pt$$1

 

 

 

#PlanetEarthIsYou – Um Vídeo Que Todo o Ser Humano Deveria Ver

Publicado em

Listen to me, please. You’re like me, a homo sapiens, a wise human. Life, a

miracle in the universe, appeared around 4 billion years ago. And we humans

only 200,000 years ago. Yet we have succeeded in disrupting the balance so

essential to life. Listen carefully to this extraordinary story, which is yours, and

decide what you want to do with it.

Se existe coisa por qual gosto de falar e ver é sobre o sítio onde tu estás neste momento. Não, não é um sítio, é mais que isso. E não, não é a tua casa, mas é onde ela está assente. Pergunto-me se já pensaste onde estás. A sério! Já pensaste verdadeiramente onde estás ou é completamente irrelevante?

Nos dias de hoje, se há coisa que não vemos é falar sobre o planeta que nos acolhe e em que tivemos a sorte de nos “acolher”. E o que é que fazemos com ele? Qual o agradecimento que damos à nossa verdadeira” casa”? Eu sei a resposta: é destruição, É destruição, guerras, poluição, desrespeito pela vida florestal e animal e, tudo isto, para satisfazer os caprichos daquele que é o ser mais inteligente à superfície da Terra: o ser-humano. Pois bem, muito sinceramente, de inteligência não temos nada quando caminhamos sobre “a nossa casa” como “baratas tontas”, destruindo tudo aquilo que nos é dado e sem dar valor a elas.

Aqui está um vídeo que vi (obrigado Facebook por existires e conseguires espalhar a palavra), e que todos nós deveríamos ver e pensar realmente. Eu sei que, nestes casos, palavras não fazem nada, mas sim as ações, e uma delas é começar por tomar consciência daquilo que “estamos” a fazer, à nossa casa, Ao nosso planeta. Ao Planeta Terra:

 

O documentário HOME que todos nós deveríamos ver:

Listen to me, please. You’re like me, a homo sapiens, a wise human. Life, a
miracle in the universe, appeared around 4 billion years ago. And we humans
only 200,000 years ago. Yet we have succeeded in disrupting the balance so
essential to life. Listen carefully to this extraordinary story, which is yours, and
decide what you want to do with it.

Vida Extraterrestre–As notícias do dia

Publicado em Atualizado em

Hoje foi um dia em que me deparei rapidamente com duas notícias… Quer animadoras e curiosas, outra quer um bocado triste… Mas bem, passemos diretamente às notícias.

Vamos viajar até Marte onde sabemos andar no Curiosity, o “nosso” robô. Pois bem, não foi encontrado metano. E o que isto quer dizer?:“A presença de metano na atmosfera de um planeta está intimamente associada com a existência de seres vivos num ecossistema, apesar de o gás também poder existir sem a presença de vida. Contudo, a sua inexistência é sempre mau sinal.” Vejam a notícia dos site Tecnologia.com.pt

Curiosity não detecta metano em Marte e expetativas de vida no planeta caem a pique

20 DE SETEMBRO DE 2013 POR MARIA FERREIRA SANTOS

(Quase) cai por terra a possibilidade de existir vida em Marte. As últimas análises realizadas no planeta pelo rover Curiosity surpreenderam os cientistas da NASA, tendo em conta que não foi encontrado metano na atmosfera do “planeta vermelho”. Isto apesar de testes anteriores terem demonstrado a presença do gás.

A presença de metano na atmosfera de um planeta está intimamente associada com a existência de seres vivos num ecossistema, apesar de o gás também poder existir sem a presença de vida. Contudo, a sua inexistência é sempre mau sinal. Os testes estavam a ser ansiosamente acompanhados pela comunidade científica, que ficou seriamente desanimada com os resultados.

Michael Mayers, um dos coordenadores da missão, disse que os resultados do Curiosity “reduzem a probabilidade de haver atualmente micróbios que produzam metano no planeta, mas isso abrange apenas um tipo de metabolismo microbiano. Como sabemos, há muitos tipos de micro-organismos terrestres que não geram metano“.

Continua a ler a notícia

Agora voltaremos ao planeta azul, a Terra. Vejam bem o que foi “encontrado”… Eu confesso que fiquei bastante estupefato, mas é algo que acredito que muita tinta ainda vai correr…

Notícia do Diário Digital

Cientistas dizem ter descoberto provas de vida extra-terrestre na atmosfera

Cientistas dizem ter descoberto provas de vida extra-terrestre na atmosfera

Uma equipa de cientistas acredita ter descoberto as primeiras provas de vida extra-terrestre a chegar à terra vinda do Espaço, o que, afirmam, pode «mudar completamente a nossa visão da biologia e da evolução».

Os investigadores da Universidade de Sheffield, em Inglaterra, fizeram a descoberta após terem lançado um balão para a estratosfera.

O balão foi lançado perto de Chester e transportava pinos microscópicos que apenas foram expostos à atmosfera quando o balão atingiu uma altitude entre os 22 e os 27 quilómetros.

Quando recuperaram o balão, intacto, perto de Wakefield, os cientistas descobriram fragmentos de material biológico invulgar devido ao seu tamanho.

Leia o resto deste artigo »

#Meteoro na #Argentina (c/vídeo)

Publicado em Atualizado em

Parece que este ano andamos a ter bastantes fenómenos a acontecer no nosso planeta. Ora vejam mais esta notícia, retirada do site da TVI24:

Gigantesca «bola de fogo» ilumina céu da Argentina

Meteorito «fez da noite dia por alguns segundos», relatam habitantes no norte do país

Habitantes de várias províncias do norte da Argentina afirmaram, no domingo, ter visto uma «gigantesca bola de fogo» a atravessar o céu. O fenómeno, que fez da noite dia por alguns segundos, foi mais visível em Santiago del Estero, mas também foi observado em Catamarca, La Rioja, Chaco, Corrientes, Córdoba, Santa Fé e Tucumán.
Mariano Rivas, coordenador da aérea de Astronomia do Planetário de Buenos Aires, disse ao canal C5N, que a bola de fogo se deveu à explosão de um meteoro.
O fenómeno foi observado cerca das 3:20 (7:20 hora portuguesa) e alguns residentes relatam que sentiram um ligeiro tremor de terra antes da bola de fogo passar.
«Trata-se de um meteoro que entrou na atmosfera a uma velocidade de 130 mil quilómetros» por hora, afirmou aos meios de comunicação argentinos o diretor do Observatório Astronómico de Santa Fé.
Jorge Coghlan explicou que «era de uma dimensão superior à de um meteorito» e que «se desintegrou quando se encontrava a uma altitude de 65 quilómetros». O especialista acrescentou que o objeto entrou na atmosfera com um tamanho aproximado de 20 centímetros de diâmetro».
De acordo com Jorge Coghlan, milhares de bolas de fogo passam diariamente no céu sem que as possamos ver. «A que passou este domingo era apenas maior e de origem tão primitiva como o nosso planeta», concluiu.

Vídeo AQUI

Sismo de Magnitude 7.5 Registado no Irão (C/Vídeos)

Publicado em Atualizado em

Olá a todos. Hoje venho com uma notícia que não é muito animadora para os estragos que se fizeram. Falo então de um sismo registado hoje, no Irão (perto da fronteira com o Paquistão, sendo que são referidas 34 mortos.

A magnitude do sismo foi estabelecida por sismólogos iranianos em 7,5 e pelo centro de sismologia norte-americano em 7,8 na escala de Ritcher.

Com epicentro localizado numa área deserta no sudeste do Irão, perto da fronteira com o Paquistão, fonte oficial diz que o desmoronamento de casas terá feito pelo menos 34 mortos.

As autoridades iranianas dizem que se tratou do sismo mais violento no Irão em mais de 50 anos e adiantaram estar à espera de centenas de mortos.

O sismo aconteceu perto da central nuclear iraniana, mas as autoridades dizem que não foi afetada.

video

video2

video3

Há uma semana, um forte sismo no sudoeste do Irão fez 40 mortos.

Fonte dos textos em citação e vídeos: TSF

“Asteróide vai «rasar» a Terra a 15 de Fevereiro, NASA descarta perigo de colisão”

Publicado em Atualizado em

Já não é a primeira nem será a última vez que aparecerá aqui no blog uma notícia de asteroides. Cá fica uma, mas desta vez com uma data mais recente, e com uma data a reter para quem dá importância as estes fenómenos!

Notícia: Diário Digital

Asteróide vai «rasar» a Terra a 15 de Fevereiro, NASA descarta perigo de colisão

Asteróide vai «rasar» a Terra a 15 de Fevereiro, NASA descarta perigo de colisão

 

O asteróide «2012 DA14», com 45 metros, vai «rasar» a Terra no próximo dia 15 de Fevereiro, mas a NASA assegura que não haverá risco de colisão.

O corpo celeste, descoberto pelo observatórioLa Sagra, em Espanha, passará a 35,8 mil quilómetros do nosso planeta. Será às 19:26 de dia 15 que o asteróide estará mais próximo do «Planeta Azul».

Não será possível observar a olho nu o 2012 DA14, que poderá no entanto colidir com algum dos satélites de comunicações terrestres.

Depois desta aproximação, o asteróide deverá passar na zona de sombra da Terra, permanecendo ali durante perto de 18 minutos, antes de reaparecer.

Asteroide com 275 metros de Visita à #Terra Amanhã

Publicado em Atualizado em

Vou passar diretamente à notícia Smiley piscando:

Asteroide com 275 metros passa «junto» à Terra quarta-feira

Asteróide com 275 metros passa «junto» à Terra quarta-feira

Um asteróide com 275 metros de largura passará perto da Terra esta quarta-feira, mas os cientistas garantem não existir o perigo de uma colisão.

O asteróide Apophis poderá, contudo, colidir com o nosso planeta em 2036, embora as probabilidades sejam baixas.

O Apophis, baptizado com o nome de um demónio da mitologia egípcia, passará a cerca de 14,5 milhões de quilómetros da Terra este ano.

Em 2029, no entanto, o asteróide deverá passar a apenas cerca de 30 mil quilómetros do nosso planeta, ou seja, dentro da órbita dos satélites de comunicações.

Os actuais modelos prevêem uma pequena hipótese do Apophis colidir com a Terra em 2036.

Quando foi descoberto, em 2004, os cientistas estimaram uma assustadora probabilidade de 1/45 de uma colisão em 2029. Mais tarde, com novas observações, as probabilidades foram revistas e essa possibilidade afastada para 2029, embora exista uma possibilidade, diminuta, é certo, de que se registe um impacto em 2036.

Os cientistas da Agência Espacial dos EUA (NASA) estimam que se o Apophis embatesse na Terra geraria uma explosão equivalente a mais de 500 megatoneladas de TNT. Por comparação, a bomba de hidrogénio mais potente alguma vez detonada libertou 57 megatoneladas.

Fonte

+Ciência–#Google junta-se á #NASA

Publicado em Atualizado em

Esta notícia acabei agora de a ver e achei super interessante e algo que traduzirá a beleza presente no nosso planeta.

Partilho aqui com vocês:

blackmarblegoogle

TERRA

Google se junta à NASA para fazer mapa da Terra à noite

Você já deve ter visto a Blue Marble, a clássica imagem da Terra vista do espaço. Há alguns meses, a NASA divulgou uma animação chamada Black Marble, que também mostra o planeta, mas com uma pequena diferença: é a vista noturna, iluminada apenas pelas próprias luzes da Terra.

Agora, o Google se uniu à NASA — e também à NOAA, órgão que cuida dos oceanos e meteorologia dos EUA e que é parceiro nesse projeto — para fazer uma versão do Google Maps nesse mesmo estilo.

Os dados foram coletados pelo satélite Suomi NPP em 312 passagens sobre a terra, usando um novo sensor ultrassensível que captura imagens usando o sistema conhecido como VIIRS (Visible Infrared Imaging Radiometer Suite), que pega apenas a luminosidade, sem a inferferência das nuvens. Depois, as informações foram projetadas sobre a famosa Blue Marble, e o resultado é esse daí de cima — que você pode testar aqui: [Google Maps via TechCrunch; Engadget].

Fonte

+Ciência – Asteróide vai passar ‘perto’ da Terra na quarta-feira

Publicado em

É mesmo isso que vai acontecer já amanhã. Aqui fica a notícia direitinha deste fenómeno fantástico:

O 4179 Toutatis atinge a sua maior proximidade com o nosso planeta a cada quatro anos

2012-12-10

Imagens por radar do Toutatis

Imagens por radar do Toutatis

Um dos mais conhecidos asteróides, o 4179 Toutatis, vai passar ‘perto’ da Terra na próxima quarta-feira, 12 de Dezembro. Nesta sua visita quadrienal, o ponto mais próximo com o nosso planeta será bem mais distante do que em anos anteriores: 6,9 milhões de quilómetros (18 vezes a distância a Terra à Lua). Em 2004, passou a 1,55 milhões de quilómetros, tendo sido até possível observá-lo com pequenos telescópios. Este tipo de aproximação só ocorrerá novamente em 2652.

O asteróide Toutatis – nome refere-se ao deus celta que protegia as tribos – foi descoberto por Christian Pollas, a 4 de Janeiro de 1989. Pela sua proximidade, foi classificado como Near Earth Object (NEO, objecto próximo da Terra). Tem uma trajectória orbital excêntrica que o leva até à Cintura de Asteróides, entre as órbitas de Marte e Júpiter, no seu máximo afastamento do Sol, e perto da órbita terrestre quando está mais próximo da estrela.

As suas aproximações periódicas fizeram com que fosse bastante bem estudado, tanto através de radares como numa variedade de comprimentos de ondas ópticas e infravermelhas. Devido às observações, sabe-se que Toutanis é irregular e comprido. É um objecto muito lento e de rotação dupla, roda sobre si mesmo em dois ciclos alternados, um de 5,4 dias, outro de 7,3 dias.

O Toutatis está a ser fortemente vigiado pelos grandes telescópios e observatórios de todo o mundo, incluindo o Goldstone (Califórnia) e o Arecibo (Porto Rico). Os astrónomos do Laboratório de Propulsão a Jacto, da NASA, acreditam que as novas observações vão proporcionar imagens com maior resolução do asteróide e com um detalhe nunca visto até agora.

Este ano haverá ainda um evento especial: a sonda espacial chinesa Chang’E-2 está a três dias do encontro com o asteróide, que ocorrerá 300 quilómetros de distância da sua superfície. A sonda foi lançada originalmente para estudar a Lua, mas foi desviada no passado mês de Abril para permitir a aproximação do asteróide. Os astrónomos vão aproveitar a oportunidade para o estudar de perto e poderem conhecer melhor o seu comportamento.

Fonte